Combustíveis adulterados e o benzeno


Ao abordar o aumento, em São Paulo, no número de postos de combustíveis flagrados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) em ilegalidades como a venda de combustíveis adulterados, Luiz Arraes, presidente da Fepospetro alertou para o risco que representa a situação para a saúde e a vida dos frentistas. Como exemplo, ele citou casos em que amostras de combustíveis indicavam a presença de benzeno em concentração até dezesseis vezes maior do que o percentual de 1,5% estabelecido em Lei: “A ganância dos empresários desconhece limites e, de fato, representa perigo não só para o frentista, mas para qualquer consumidor que vá abastecer seu veículo nesses locais”, alertou.


©2016 / 2018 - FEPOSPETRO
Painel de Controle |